Thursday, April 13, 2006

†††Guardião da Anarquia†††

Mão Branca
Se fizer silêncio eu te esmago...

(Adaptação do poema "Xará Demônio" de Mão Branca / por Me Morte)


Na encruzilhada



Entre o rio e a estrada
Contratei o Demônio
Que sabia meu nome

Me Morte!
Que tal me dar abrigo em seu sarcófago?

Falei: Xará,
Que tal deixar meu rabo em paz?

Sorriu inocente
Inebriou-me a mente

E o Vale nunca mais foi o mesmo...

Anarquista, grosseiro, irreverente...
Com sua bela balela
Esclareceu-me singelo

Falou: Xará,
Teu rabo já é meu há tempos
Agora o Vale! hehehe

Mão Branca/Me Morte
14/03/2007

4 comments:

Wanessa said...

Olá adorei seu blog ... lindas poesias, conteúdo magnifico

www.wanessa.bigblogger.com.br
www.topsecrety.blogger.com.br

se quiser conhecer será uma honra, o top secrety é meu e de um amigo, tem poesias escritas por ele ^^

CAVALHEIRA007 said...

"Saudades suas amigo"


Ser fiel e realmente verdadeiro,
É chegar sempre primeiro,
Oferecer o mundo inteiro,
Tudo com muito sentimento,
E nunca esperar nenhum pagamento.

Larissa Marques said...

Espero que volte sempre!

Mão Branca said...

Oi.
Eu queria tanto ser um guardião... talvez o guadião da vingança... ou qualquer outra coisa que crie!

Tá fera, Me, as poesias, as imagens, a proposta!
beijos